Toque e presença.

Como podemos estar com o outro, escutá-lo, se não sabemos estar presentes a nós próprios, se não sabemos escutar-nos? Como podemos cuidar do outro se não sabemos cuidar de nós?


O trabalho da presença a si é uma prática de relação, primeiro de si para si e depois de si para os outros. A prática da relação começa na escuta da nossa interioridade. Quantas vezes escutamos o que o nosso corpo tem para dizer? Quais os recursos que utilizamos para sair do piloto automático, para nos conectarmos de forma real e autêntica?

A lentidão é um aliado importante para trabalharmos a presença à nossa interioridade. E quando nos escutamos podemos saber aquilo de que necessitamos para estarmos bem.

A relação pode vestir várias formas, pode passar pelas palavras, pelo silêncio partilhado, pela simples presença ou ainda pelo toque. O toque é o último sentido a perder-se, ele permite entrar em relação e fazer sentir ao outro que ainda tem lugar neste mundo, qualquer que seja a sua condição física.


Susana Dagot

3 visualizações0 comentário